0_adolescentes

Adolescência – amenizando conflitos entre pais e filhos

A grande questão é: Como dar asas aos nossos filhos, mas também raízes?

A princípio pode parecer um questionamento paradoxal, mas ao mesmo tempo que nossas raízes devem estar presentes na vida de nossos filhos, na adolescência a necessidade de independência vai se ampliando…

Mas como fazer isso com segurança? Já que eles vivem em um mundo conturbado, de escola, família, atividades extracurriculares, redes sociais, e com certeza deve haver mais itens nessa lista!

Sem contar que tudo nesta fase é muito intenso e muitas escolhas devem ser feitas, muitas das quais terão consequências para o resto de suas vidas.

Acompanhamento

É imprescindível acompanhá-los de perto, pois eles querem fazer parte, pertencer a um grupo, ter sua turma, sua “tribo”. Saber quem são seus amigos e seus familiares na medida do possível, e sem sufocar, é um bom caminho.

Amizade

Aqui é importante ressaltar e relembrar o que é um verdadeiro amigo. Amigo é aquele que nos diz sempre a verdade, mesmo que não seja muito agradável. É diferente de ‘amiguinho’, que está ali por interesse e só quer agradar para obter algo em troca, isso não é amizade verdadeira.

Portanto, ser amigo do seu filho, envolve acima de tudo respeito e uma boa conversa sempre que necessário.

Quando algo desagradável acontece, broncas e xingamentos não ajudam a refletir sobre o ocorrido, muito pelo contrário, só causa afastamento, mágoas e ressentimentos.

Dicas práticas para um bom relacionamento:

  • Respeite seu filho sempre, e ensine-o a respeitá-lo também;
  • Não bata. Aqui vale lembrar da máxima, “violência gera violência”, e “gentileza gera gentileza”. Exemplo é tudo, principalmente no que diz respeito à educação de filhos;
  • Não humilhe, nem em casa e muito menos na frente de outras pessoas;
  • Não fale de seus defeitos. É preciso ajustar determinados comportamentos, correto? Então reforce sempre o que se quer, não o que não está adequado;
  • Não grite. Aqui mais uma vez vale ressaltar a importância do exemplo. Quantas vezes não pedimos que eles parem de gritar, mas o fazemos gritando?!
  • Não seja tirano.

Pais que brigam o tempo todo, xingam e criticam de forma a humilhar seus filhos, só fará com que eles se afastem cada vez mais. E mais ainda, eles acabam procurando as ruas, ou mesmo pessoas desconhecidas. E o que isso oferece? Nada de bom, não é mesmo?

Se a sua relação com seu filho já está desgastada, é importante terem uma boa conversa, se perdoarem e recomeçarem uma nova relação. Caso percebam, que não conseguem sozinhos, podem recorrer à ajuda profissional. Não somente o adolescente, mas os pais também devem procurar terapia, por exemplo, para que todos possam aprender a lidar melhor com as situações, com as angústias e empreendam um caminho em busca do autoconhecimento, que será fundamental para se perceberem, tomarem consciência de si mesmos, e de seu papel, na família e na sociedade, tornando o ambiente em que se encontram o mais saudável possível.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Leia também:
Comportamento

Fazer o que é necessário… agora!

O comportamento de muitas vezes adiarmos projetos ou tarefas, o “deixar para depois”, ir “empurrando com a barriga” é chamado de procrastinação. Acabamos fazendo várias coisas antes do que é realmente necessário, ou não fazemos nada efetivamente em relação ao que é de fato preciso realizar. Este tipo de atitude é muito comum, porém, muito

Leia mais >
Reflexão

Estar feliz, mas sentir-se triste… tudo bem também!

Por vezes até estamos felizes, conquistamos muitas coisas, e também amizades… Mas daquelas que realmente torcem por nós, que sentimos e sabemos que estarão ao nosso lado quando for necessário…
Os conflitos existem também… que estranho… “Mas me considero…

Leia mais >